Após denuncias de abuso sexual MP de Goiás pede prisão do médium João de Deus..

0
47

No final da tarde dessa quarta-feira (12), O Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO) protocolou, o pedido de prisão preventiva do médium João de Deus, suspeito de praticar abusos sexuais em mulheres durante tratamentos espirituais, em Abadiânia, na região central de Goiás. Pela manhã da quarta, João de Deus negou as denúncias e disse que era inocente.

O médium está sendo acusado de abusar sexualmente e violentar mais de 200 mulheres que buscaram ajuda com ele. De acordo com as denúncias, João de Deus agia de forma similar em todos os casos. Durante os atendimentos espirituais coletivos, o médium dizia para as mulheres que, segundo a entidade, elas deveriam procurá-lo posteriormente em sua sala, porque tinham sido escolhidas para receber a cura. As entrevistadas dizem que, uma vez que estavam sozinhas com ele, eram violentadas sexualmente.

A medida foi requerida após o MP receber as denúncias das supostas vítimas do líder religioso. O Caso deve ser analisado pelo juiz Fernando Chacha, que é responsável pela comarca de Abadiânia.

O pedido foi protocolado por volta das 17h45 pelos promotores Luciano Miranda e Patrícia Otoni, na promotoria de Abadiânia. Os dois são responsáveis pela força-tarefa que investiga os supostos crimes sexuais.

Essa não é a primeira vez que o médium é acusado de crime sexual, em 1980 ele foi acusado de “atentado ao pudor” e foi processado por crime de sedução contra uma adolescente, então com 16 anos. O processo foi extinto seis anos depois por desinteresse da família por não conter provas suficientes.

João de Deus é atualmente o médium mais famoso do Brasil, e ao saber dos relatos, a Federação Espírita Brasileira (FEB), divulgou nota em que afirma que serviços espirituais não devem ocorrer isoladamente, com a presença somente do médium e da pessoa assistida.

“O Espiritismo orienta que o serviço espiritual não deve ocorrer isoladamente, apenas com a presença do médium e da pessoa assistida. Não recomenda, portanto, a atividade de médiuns que atuem em trabalho individual, por conta própria. Estes não estão vinculados ao Movimento Espírita, nem seguindo sua orientação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here